Mensagens

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa

Testemunhando o dízimo na comunidade.

Compreendendo a Palavra, testemunhando o dízimo na comunidade.

Caros irmãos, famílias, lideranças, comunidade, o nosso grade desafio sempre foi e será a evangelização. É a partir dela que as coisas começam a acontecer.

A compreensão e o testemunho de um Cristão dizimista se dá a partir da acolhida, da compreensão e da vivencia da Palavra de Deus.

Nesta edição, deixo uma breve reflexão, tendo presente a lei e o amor de Deus. Quero valer-me do Evangelho de São Mateus, capitulo 23, versículo 23 que diz: “Ai de vocês, doutores da lei e fariseus hipócritas! Vocês pagam o dízimo da ortelã, da erva-doce e do cominho e deixam de lado os ensinamentos mais importantes da lei, como a justiça, a misericórdia e a fidelidade. Vocês deveriam praticar isso, sem deixar aquilo”.

Caros amigos, Jesus chamava a atenção dos doutores da lei e dos fariseus. Eram as pessoas que mais “entendiam” da Palavra de Deus na época. Eram extremamente rigorosos e por diversas vezes tentaram armar ciladas para que Jesus caísse em contradição entre aquilo que pregava e o que estava escrito nos ensinamentos dos profetas, nos livros que hoje chamamos de Antigo Testamento.

Jesus faz uma crítica muito dura aqueles que se achavam cumpridores da Lei de Deus e que, portanto julgavam-se em condições de criticar e até mesmo de condenar os que consideravam estar errados.

Mas, do que eles entendiam mesmo era dos ritos, das normas impostas pelos homens sem levar em consideração a verdadeira vontade de Deus. Bastava seguir os ritos, cumprir todas as normas e estavam de bem com Deus e com o mundo, não importava o coração, a intenção, a atitude em relação ao irmão.

Jesus quer mostrar que a verdaeira Lei não é aquela que me obriga a pagar algum imposto, mas aquela que me mostra um caminho a seguir. Aquela que me leva ao encontro do irmão e me incentiva a praticar a partilha,o amor e o perdão.

O dízimo portanto, não é um imposto criado por Deus, mas um ensinamento que nos leva a praticar o reconhecimento de que Ele é o nosso Deus, fonte de tudo que temos e somos. Nosso dízimo é ato de gratidão pelo que d`Ele recebemos, é partilha daquilo que Deus nos dá.

Antes de nos preocuparmos em cumprir a lei, vamos colocar em prática o ensinamento do amor de Deus. Este sim nos leva ao cumprimento da vontade do Senhor, pois é fruto do coração e não um inconseqüente ato externo, como o que Jesus condenou nos doutores da lei e nos fariseus. Assim, temos um longo caminho a ser percorrido, tendo presente o prolongamento dos sentimentos, dos gestos e da missão de Jesus. Eis o que significa ser discípulo verdadeiramente.

Que o Senhor nos ajude.

Meu fraterno abraço.
Pe. Jair de Barros Gomes