Experiências

Arquidiocese de Maputo, em Moçambique, mostra resultados do Dízimo

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa
 

O MEAC acaba de receber uma correspondência enviada pelo padre José Geraldo, que é o responsável pelo setor de Pastoral do Dízimo da Arquidiocese de Maputo, em Moçambique, na África. Para permanecer fiel ao pensamento expressado por aquele sacerdote, transcrevemos, na íntegra, a carta enviada.

“Caros amigos do MEAC, partilho com vocês o relatório do Dízimo da Arquidiocese de Maputo em 2010. Mesmo que não se compare nunca com a realidade das paróquias do Brasil, para a realidade de Moçambique já é um bom passo. A Arquidiocese de Maputo já faz 5 anos da 1ª Implantação do Dízimo. Agora uma paróquia da Diocese de Lichinga já começou, uma da Diocese de Pemba também e na Diocese de Chimoio uma Paróquia está se preparando.

Em 2006 a Arquidiocese de Maputo, com a bênção do Sr. Arcebispo D. Francisco Chimoio, iniciou a Pastoral do Dízimo pelo sistema do MEAC: Missionários para a Evangelização e Animação de Comunidades. Depois de 5 anos (a completar-se a 30 de abril de 2011), podemos dizer que graças a Deus esta pastoral tem dado certo e tem sido um meio de sustentação para as nossas paróquias assim como também tem dado uma substanciosa ajuda às despesas arquidiocesanas.

A Comissão de Pastoral do Dízimo tem se esforçado para acompanhar as Paróquias na Implantação do Dízimo ou nas reanimações anuais para que continue animando as comunidades e as pessoas a sentirem-se mais Igreja como dizimistas.

Apresentamos em anexo o relatório do dízimo que as Paróquias entregaram à Arquidiocese em 2010. Sabendo-se que cada Paróquia entregou 10% do seu dízimo à Arquidiocese, entendemos que o dízimo recebido pelas paróquias tem ajudado bem a manter as atividades mensais na maioria das paróquias.

Algumas Paróquias ou Comunidades apresentam crescimento negativo. Isso não representa um ponto negativo na pastoral porque pode ser que no ano anterior a comunidade tenha tido um valor sensivelmente acima da média. Serve, porém, a última coluna para que a equipe do dízimo estude o comportamento do dízimo na Paróquia e possa assim criar mecanismos para melhorar no ano seguinte.

Para o crescimento do dízimo na Paróquia ou Comunidade é importante a prestação de contas. Portanto apresentamos o relatório arquidiocesano e solicitamos que o apresente à sua comunidade.

Deus nos abençoe a todos.

Pe. José Geraldo, pelo Sector de Pastoral do Dízimo da Arquidiocese”