Formação Missionária

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa

Estamos diante de uma imagem venerada, há mais de quatrocentos anos, na igreja das irmãs Nazarenas, em Lima, capital do Peru. Além da linda história que deu origem à maior devoção popular da nação peruana, este quadro que nós também veneremos, na cópia que conservamos na capela do MEAC em Dias D’Ávila, tem uma linguagem que nos transmite grandes lições de amor e de partilha.
A imagem do Senhor dos Milagres oferece diversos elementos para nossa reflexão: o mistério da SS. Trindade; a obra da criação, representada pelos astros e a natureza; a Virgem Maria de pé, junto da cruz, onde seu Filho entrega sua vida; Maria Madalena, ajoelhada aos pés do Cristo agonizante.
A santíssima Trindade é o mistério de Deus uno a trino, o amor comunicado entreas três Pessoas divinas. O amor é sempre partilhado, pois quem ama partilha. Deus partilha seu amor através da obra da criação. Deus cria por amor e por amor cria o homem e a mulher a sua imagem e semelhança. No seu infinito amor, o Pai partilha com a humanidade pecadora o seu próprio Filho que realiza, pela sua encarnação, pela sua vida a serviço da vontade do Pai e pelo sacrifício da cruz e obra da redenção. No momento mais importante da sua vida, na plenitude da sua missão, quando chegou “a sua hora”, Jesus partilhou com a humanidade a sua própria Mãe. Dirigindo-se a João, que naquele momento nos representava a todos, Ele disse: “Eis ai a tua mãe” (Jo 19,25). Com este gesto de Jesus, Maria torna-se oficialmente a mãe da Igreja e de toda a humanidade remida pelo sangue de Jesus.
Do lado aberto do Crucificado, já tendo doado até a última gota do seu sangue precioso, “saem sangue e água” (Jo 19,34): símbolos da Igreja e dos sacramentos, fonte e canais que transmitem a vida da graça.
Ressuscitado, Jesus nos dá o Espírito Santo. 
Com o dom do Espírito Santo, que procede do Pai e do Filho, nasce oficialmente a Igreja que pelo mesmo Espírito é vivificada e conduzida até o fim dos tempos.
Ao pé da cruz, ao lado da Mãe de Jesus, está Maria Madalena. Ela, que tinha experimentado a misericórdia de Jesus, sendo libertada de maus espíritos (“sete demônios”) (Lc. 8,2) entrega-se inteiramente ao seu amor e ao seu serviço: “muito amou porque muito lhe foi perdoado, (LC. 7,47), Maria Madalena é uma das mulheres que “acompanhavam Jesus e o grupo dos apóstolos desde a Galileia até a Judéia, colocando a serviço deles os seus bens” (Lc.8,15). Ela está presente ao pé da Cruz na hora mais dolorosa da vida do seu Mestre, junto com Maria e o “discípulo amado” enquanto todos os outros discípulos tinham fugido.
Maria Madalena é a primeira a correr, de madrugada, para o lugar onde Jesus tinha sido colocado, levando perfumes para dar ao seu corpo uma sepultura mais digna e será também a primeira a ver e reconhecer o Cristo ressuscitado “Apóstola dos Apóstolos” como é chamada pelo Papa Francisco, será Maria Madalena a levar a eles a noticia da ressurreição do Senhor.
Quem ama partilha. Deus é amor e reparte conosco todos os bens. “Ele que nem sequer poupou seu próprio Filho, mas o entregou à morte por todos nós, como não haverá de nos dar também, com ele, todas as outras coisas?”(Rom. 8,32).
È a partir destas palavras do Apóstolo Paulo que nasce a nossa fé: a certeza de que Deus que nos deu seu próprio Filho, com Ele nos dará também todas as graças, de acordo com a sua vontade amorosa. Isto explica a grande devoção do povo de Deus ao Senhor crucificado os milagres que acontecem e a chuva de graças que são derramadas sobre aqueles que a invocam, como testemunhou constantemente os devotas do Senhor dos Milagres.
Contemplando esta imagem, refletindo sobre a mensagem que ela nos transmite, nasce em nós espontaneamente esta prece: Senhor, Pai, Filho e Espírito Santo, Deus de amor que nos chamastes a participar da vossa vida divina, inundai-nos com vosso amor e fazei de nós uma transparência da vossa bondade. Vós que sois o amor partilhado na comunicação das três Pessoas divinas e partilha conosco todos os bens, ensinai-nos a repartir com nossos irmãos a fé, o conhecimento e o pão de cada dia. Fazei de nós mensageiros da vossa misericórdia.
Renovai o nosso coração, fazendo semelhante ao coração de Jesus, e passamos assim contribuir na construção de um mundo novo, de solidariedade e de partilha, para que se realize o vosso Reino.
Nossa Senhora, Mãe da Igreja, interceda por nós. Amém.