Artigos

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa

A tragédia de Newtowon, no dia 14 de dezembro último, é um desses acontecimentos que nos faz pensar. O que levou o jovem Adam Lanza, de 20 anos, a abrir fogo contra crianças inocentes, depois de assassinar a própria mãe? Qual a razão de tamanha atrocidade, que culminou com 27 mortos? As perguntas seriam muitas, mas a resposta... O comentarista Huckabee, do noticiário Fox, tentou algumas respostas. Por isso, deixo hoje a meus leitores o conteúdo integral desse comentário. “Estamos tentando compreender esse horrível tiroteio na escola primária em Sandy Hook, mas não iremos compreender aquilo que está totalmente desconectado da capacidade cognitiva de qualquer ser humano racional. O governador de Connecticut, Dan Malloy, acertou quando disse: “O mau visitou essa comunidade”. O presidente Obama, em sua declaração emocional, falou mais como pai do que um político e citou a Bíblia para trazer conforto para a Nação. Igrejas foram preenchidas em Newtown ontem à noite, à luz de velas, para lamentar a morte das 27 pessoas inocentes e as vidas de inúmeras pessoas que foram abaladas por alguns segundos de louca carnificina. Na sexta feira, Neil Carreto me perguntou: “Onde estava Deus”. E eu disse que por 50 anos temos sistematicamente tentado remover Deus de nossas escolas, nossas atividades públicas, mas, no momento que temos uma calamidade, nós queremos saber onde Ele estava. Bem, a esquerda previsível iluminou as ondas aéreas e a blogosfera com uma reação vil e cruel. Chegou à conclusão de que eu disse que, se tivéssemos oração nas escolas, o tiroteio não teria acontecido. Eu não disse nada desse tipo. É muito mais do que apenas tirar a oração ou a leitura da Bíblia fora das escolas. É o fato de que as pessoas processam uma cidade, para que não sejamos confrontados com uma cena de uma manjedoura ou uma canção de Natal, que processos são arquivados para remover uma cruz que é um memorial aos soldados falecidos. Igrejas e empresas cristãs são orientadas a entregar seus valores pelo decreto de ordens governamentais para fornecer pílulas de abortos financiados pelos impostos. Nós cuidadosamente e intencionalmente paramos de dizer que certas coisas são pecaminosas e as chamamos de doenças. E, para chegar onde temos que abandonar as verdades morais de fundamento, então nos perguntamos: “Bem, onde estava Deus?”. E eu respondo que, a meu ver, nós o escoltamos para fora de nossa cultura e o temos marchando nas praças públicas... Então expressamos a nossa surpresa de que uma cultura sem Ele, na realidade reflete o que ela se tornou. Assim como a tragédia se desenvolveu, eu acho que Deus apareceu, sim. Ele apareceu na vida de professores que colocam suas vidas entre um homem armado e seus alunos. Ele apareceu em policiais que correram para dentro da escola sem pensar se seriam atingidos com uma chuva de balas. Ele apareceu na forma de abraços e lágrimas das crianças, parentes e professores que vivenciaram a chacina. Ele mostrou-se nos serviços das Igrejas lotadas, onde as pessoas acendiam velas e oravam. Ele apareceu na Casa Branca, onde o presidente invocou o seu nome e citou do seu livro. Em poucos dias ou semanas, provavelmente, vamos pedir a Deus que se retire de vista e anunciaremos em nosso orgulho arrogante que agora estamos esclarecidos e educados e temos evoluído além da dependência Dele. E alguém irá sugerir que aprovemos uma lei para todo esse tipo de coisa. Gostaria de opinar que não temos que passar uma nova lei. Há uma que existe há um tempo, que funciona se a ensinarmos e observarmos: “Não matarás”! Há outras nove, mas para falarmos sobre elas exigiria trazer de volta Deus, e nós sabemos o quão inaceitável isso poderia ser...”. Da minha parte, só me resta torcer para que a cena da manjedoura toque um pouco mais o coração humano. ( fonte: Youtube). WAGNER PEDRO MENEZES Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.